Site da USP
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção Universidade de São Paulo

Gestão de Operações e Logística

Esta área trata do planejamento e gestão de operações e recursos de produção no contexto das indústrias de manufatura, sistemas logísticos e sistemas de serviço. Contempla temas emergentes relacionados ao Planejamento, Programação e Controle da Produção (PCP), Gestão de Estoques, Planejamento da Capacidade, Localização, Estratégia de Operações, Produtividade em Sistemas de Operação, Logística e Cadeia de Suprimentos.

Atualmente o grupo de Gestão de Operações e Logística mantém projetos de doutorado e de mestrado envolvendo alunos da pós-graduação bem como projetos de iniciação científica envolvendo alunos da graduação, desdobrados a partir de três linhas de pesquisa centrais:

  • Planejamento, Programação e Controle da Produção e Estoques
  • Logística e Cadeia de Suprimentos
  • Produtividade em Sistemas de Operações e Logística

Uma característica dos projetos relacionados às duas primeiras linhas de pesquisa é o uso intensivo de modelagem matemática e de simulação para resolução de problemas de otimização em planejamento e programação das operações, dimensionamento de estoques e planejamento de infra-estrutura logística. Já os projetos relacionados à terceira linha caracterizam-se pela investigação de questões chaves que emergem em processos de intervenção que visam à implementação de processos gerenciais e sistemas de operação que promovam a busca da excelência operacional em dimensões como custo, flexibilidade, confiabilidade e agilidade.

São enumerados abaixo, alguns temas e questões de pesquisa que o grupo está atualmente priorizando para a proposição de novos projetos de pesquisa alinhados a suas linhas de pesquisa centrais:

Planejamento, Programação e Controle da Produção e Estoques

  • Métodos de otimização aplicados a problemas de produção, em especial problemas relacionados com planejamento, programação e controle da produção;
  • Métodos heurísticos e exatos para problemas de programação de atividades (scheduling);
  • Implantação de sistemas de programação detalhada (APS – Advanced Planning and Scheduling) em sistemas de produção originalmente baseados no modelo MRPII;
  • Sistematização do uso da simulação computacional (eventos discretos, por agentes etc) no apoio ao planejamento da capacidade e da produção industrial;
  • As novas tendências dos sistemas de gestão empresarial (ERP – Enterprise Resources Planning) e os impactos destes no planejamento e controle da produção, incluindo o estudo da alternativa de ERP software livre (open source ERP);
  • Resolução de Problemas de Corte e Empacotamento através de métodos de otimização;

Logística e Cadeia de Suprimentos

  • Otimização de redes logísticas considerando efeitos de frete de retorno, impostos e nível de serviço, além de custos logísticos tradicionais;
  • Projeto de malha logística (localização de fábricas e centros de distribuição; formação de rotas de carga);
  • Uso de modelos de Dinâmica de Sistemas (Forrester) em problemas de logística e cadeias de suprimentos;
  • Métodos de estruturação de problemas (Pesquisa Operacional Soft) aplicados a problemas de colaboração em cadeias de suprimentos;

Produtividade em Sistemas de Operações e Logística

  • Busca da excelência operacional além do chão-de-fábrica em ambientes como: desenvolvimento de produtos e processos, operações de serviço (especialmente, em processos de prestação de serviços classificados como serviços de massa e lojas de serviço), processos administrativos ou transacionais;
  • Melhoria dos processos de criação e entrega de valor pela efetiva aplicação de metodologias como Lean e Lean Seis Sigma no projeto e operação de processos que atendam aos princípios de Manufatura Enxuta, Lean Service e Lean Office;
  • Promoção da simbiose entre o sistema de gestão ambiental e as abordagens que constituem o padrão world class manufacturing (lean production, total productive maintenance, teoria das restrições, etc.) e desenvolvimento de sistemas de logística reversa na busca da produção sustentável;
  • Métricas de desempenho: projeto de sistemas de medição e avaliação de desempenho em processos produtivos de manufatura, suprimentos e serviços;
  • Projeto de sistemas de operação com elevada eficiência, flexibilidade e agilidade (rapid response) que suportem as estratégias de customização (personalização) em massa e build-to-order (BTO).